sábado, 29 de agosto de 2009

Casal preso por tráfico de drogas em Fortaleza tinha passagem pela Delegacia de Aracati

Casal distribuía cocaína e crack na orla marítima. Uma caderneta encontrada pela Denarc mostrava movimentação financeira de R$ 20 mil em apenas um dia.
Um casal apontado pela Polícia como responsável pela distribuição de cocaína e crack na orla marítima da Capital, principalmente nos bairros da Praia do Futuro e Meireles, acabou preso em uma operação da Delegacia de Narcóticos (Denarc). A Polícia investiga ainda a participação dos dois no tráfico de drogas na Praia de Canoa Quebrada, no Município de Aracati (Litoral Leste do Estado). Mateus Kelson Matias, 31; e Josélia Pinheiro Barroso, 29, estavam num apartamento, na Rua Coronel Aurélio Câmara, na Praia do Futuro, quando foram surpreendidos, na madrugada de ontem, pelos inspetores da Denarc. Com o casal, foram apreendidos 1,7 quilo de cocaína pura, dois veículos, aparelhos celulares e balança de precisão. Além de todo o material, os policiais encontraram uma caderneta que continha anotações sobre a movimentação financeira da quadrilha.
De acordo com o delegado César Wagner Maia Martins, titular da Denarc, em apenas um dia existem anotações que indicam a movimentação de aproximadamente R$ 20 mil. A prisão do casal faz parte da operação ´Tentáculos II´, que tem como objetivo desarticular pontos de venda de drogas na Capital e Região Metropolitana.
Kelson e Josélia seriam integrantes do bando preso no último dia 19, na Grande Messejana, com uma submetralhadora americana, pistola calibre 45 e drogas. Segundo Cesar Wagner, após a prisão do grupo, que atuava em Messejana, as investigações continuaram e o casal foi identificado. "Eles ficavam responsáveis por fornecer a droga na orla, principalmente Praia do Futuro e Beira Mar".
Os acusados já têm antecedentes criminais. Eles foram presos há cerca de um ano, em Aracati. Segundo Cesar Wagner, essa quadrilha tinha um poderio financeiro e de logística "muito grande". Conforme o delegado, eles possuíam armamento pesado, veículos e um sistema de distribuição organizada, com ramificações em vários pontos da cidade, e até, em outros Municípios. "É mais uma quadrilha fora de circulação e um tentáculo do tráfico a menos".
Para o delegado Jairo Pequeno, diretor do Departamento de Polícia Especializada (DPE), apesar do efetivo reduzido da Denarc, os resultados têm surgido. "Estamos nos empenhando para proporcionar melhores condições de trabalho para esses policiais com o objetivo de incrementar ainda mais as investigações da Denarc".
DN- Sábado - 29/08/09. POLICIA - Tentaculos II

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...