quarta-feira, 17 de setembro de 2014

No interior: O cinema vai até seu público

A parceria entre Ministério da Cultura (MinC), Agência Nacional do Cinema (Ancine) e Secretaria da Cultura do Estado (Secult) que prevê a criação de novas salas de cinema no Interior já caminha para a sua concretização. Uma visita técnica “in loco” aos espaços disponibilizados pelas prefeituras dos oito municípios cearenses as salas o principal encaminhamento da reunião entre Manoel Rangel, diretor-presidente da Ancine; Vania Mendes, a nova secretaria executiva da Secult; e prefeitos dos municípios de Aracati, Canindé, Crateús, Tauá, São Benedito, Itapipoca, Iguatu e Crato. CONTINUE LENDO
Ao todo, serão construídas 16 salas de cinema, sendo duas por município, a partir de um orçamento de R$ 20 milhões, custando. O projeto “Cinema perto de você” integra o programa “Brasil de todas as telas”, parceria do MinC com a Ancine.

No Ceará, a reunião de trabalho aconteceu na última sexta-feira. O projeto prevê, ainda, uma parede para exibições externas, ou seja, fora do prédio do cinema. Cada prefeito apresentou três propostas de terrenos, que deverão receber a visita técnica de representantes da Secult e da Ancine, em datas ainda a serem divulgadas. Para cada município, o Estado investirá, como contrapartida no projeto, R$ 500 mil.

Visita

A visita técnica tem como principal objetivo a escolha do melhor local para abrigar o cinema, que seguirá padrão nacional. Ou seja, funcionar como sala de exibição do circuito comercial, gerando lucro, em contrapartida, deve oferecer conforto, projeção e acústica de qualidade. Cabe às prefeituras doarem os terrenos para os cinemas, enquanto a Secult responderá pela construção da obra, licitada pelo governo do Estado. O monitoramento da obra será feito pela Secult e a Ancine.

As salas de cinema deverão funcionar aos moldes dos cinemas comerciais, durante toda a semana, nos horários da tarde e da noite. Pela manhã, os cinemas poderão realizar atividades das prefeituras, como por exemplo, exibições para escolas públicas. Será aberto processo seletivo para a contratação das operadoras, que irão manter os cinemas digitais. Na oportunidade, foi discutida a sustentabilidade dos espaços, alguns, localizados em cidades de pequeno porte, apresentam perfis socioeconômicos diferenciados. Os preços devem ser baixos, simbólicos. A empresa escolhida para operar o cinema explorará também a lanchonete.

Também foi discutida a sustentabilidade dos espaços, alguns, localizados em cidades de pequeno porte, apresentam perfis socioeconômicos diferenciados. Os preços devem ser baixos, simbólicos. A empresa escolhida para operar o cinema explorará também a lanchonete.

Edital

A Secult também divulgou que, nas próximas semanas, divulgará os projetos contemplados pelo edital Ceará de Cinema e Vídeo, no momento, em fase de seleção. Orçado em R$ 7,88 milhões, dos quais, R$ 4,4 milhões são da pasta e R$ 3,2 da Ancine.

Na ocasião, Manoel Rangel mostrou o projeto arquitetônico básico para a construção de duas salas de cinema, sendo uma com capacidade para 100 lugares, e outra, para 200 pessoas, conforme informações da Secult.

Iracema Sales
Repórter


Fonte: http://diariodonordeste.verdesmares.com.br/cadernos/caderno-3/o-cinema-vai-ate-seu-publico-1.1102355  

Nenhum comentário:

Postar um comentário