quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Praia do Estevão em Canoa Quebrada participa do dia mundial de limpeza de praias.

Sábado (20), a partir das 8 horas haverá concentração na sede do RECICRIANÇA.

Quando o Dia Mundial de Limpeza de Praias se iniciou, em 1886 no Texas - USA, o primeiro objetivo era constatar a existência do problema gerado pelo lixo nos oceanos. O segundo passo foi analisar as extensões desse problema, coletando informações sobre o tipo e quantidade de lixo, e a sua distribuição nos locais pesquisados. CONTINUE LENDO
Com estas informações pode-se então verificar os riscos que esses poluentes podem trazer para a vida marinha e encontrar as soluções possíveis como, reciclagem, redução da sucata, educação da população e cobrança das autoridades competentes para que criem uma legislação específica para o problema.

Os oceanos têm sido o depósito final dos dejetos humanos. Com o advento da produção de plásticos, isopores e espumas este problema vem se agravando dia-a-dia.


Em 1998, o lixo recolhido aqui no Brasil teve a seguinte composição: 66,9% de plásticos, 11,45% de metais, 5,4% de vidros, 7,14% de papéis, 5,84% de madeiras, 2,42% de borrachas e 0,82% de tecidos. Estes dados são alarmantes uma vez que os plásticos representam mais de 60% do nosso lixo, e não são degradáveis em curto prazo. A longa vida útil destes materiais devido à baixa taxa de biodegradação tem acumulado montanhas de resíduos sólidos nos oceanos.

Fonte: Tercio Vellardi

Nenhum comentário:

Postar um comentário