terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Natal para Crianças Pobres na década de 60. Programa Café com Notícia recebe Locutor Correia da Silva

Foto: Lúcio Reis


Pela TV Sinal, manhã desta terça feira (06/01) recebi como entrevistado em meu programa “Café com Noticia” o Irmão José Correia. Nosso convidado relembrou alguns fatos históricos da década de 1960, mais precisamente a partir de 1961 quando realizava o Natal Festivo para Crianças Pobres de Aracati.

Na Foto: Sandro Guimarães entrevista Correia da Silva. O primeiro radialista vereador de Aracati e realizava o Natal para Crianças Pobres em 1961 pela extinta rádio Rio Jaguaribe, a pioneira no vale.
Continue lendo 

Viagens à Fortaleza em busca de apoio quando conseguiu um fogão novinho do grupo Edson Queiroz e até vários presentes para distribuição às crianças mais carentes da época, o Locutor “Correia da Silva’ como era conhecido através de seu Programa na Rádio Rio Jaguaribe, trabalhava pelo social com uma equipe de dez mulheres (hoje todas vivas) onde as tratava com todo respeito, também contou com a ajuda de dois irmãos muito jovens Antônio e Inocêncio Uchôa que empurravam pelas ruas de Aracati a bicicleta adaptada com um sistema de som para que o locutor Correia da Silva fizesse a divulgação da campanha pedindo brinquedos, roupas e outros donativos para a distribuição do grande dia de Natal.

“Não havia Papai Noel pelo simples motivo. Naquele tempo, papai Noel somente visitava as casas das crianças onde os pais que possuíam melhores posses colocavam sapatinhos e meias para receber os presentes, então não usávamos a figura de Papai Noel. Nossas crianças eram justamente aquelas que ficavam à margem da sociedade”, disse o irmão José Correia da Silva que hoje, 06/01/15 completou 88 anos e ainda lê sua Bíblia sem fazer uso de óculos.

Nosso entrevistado foi o primeiro vereador radialista da história do município de Aracati quando ocupou uma cadeira da Câmara Municipal de 1967 a 1970. Detalhe; Vereador naquele tempo não recebia dinheiro para trabalhar pelo povo. Era função pública mesmo, hoje tornou-se profissão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário