quarta-feira, 8 de julho de 2015

Audiência Pública para construção da Cadeia Pública de Aracati

Com participação popular bastante intensa foi realizada na tarde de segunda feira (06/06), na Câmara de Vereadores de Aracati, pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Justiça e Cidadania em parceria com o Governo Municipal de Aracati, uma audiência pública com intuito de discutir a obra de construção da nova Cadeia Pública de Aracati. LEIA MAIS
A audiência contou com participação do prefeito de Aracati, do presidente da Câmara de Vereadores, representantes do Judiciário Local, da assessora especial do Sistema Penitenciário do Estado, Aline de Paula, que representou o secretário de Justiça e Cidadania, Hélio Leitão, autoridades estaduais, locais, representantes da sociedade civil e famílias ligadas às comunidades do Alto da Cheia, COHAB e Cajueiro, que ficam no entorno do terreno que foi doado pelo município ainda em 2007, para construção da Cadeia Pública. Participaram também da audiência um bom número de vereadores.

Nas discussões chegou-se a conclusão que no terreno doado à época não há mínima possibilidade de construção da obra, pois o terreno doado pertence a um terceiro, sendo assim, não poderia ser doado. Sendo ainda contrario ao entendimento das comunidades local e do entorno, pois ocasionaria problemas de insegurança situação já bastante difundida em vezes anteriores. Esse também é o entendimento do prefeito Ivan Silvério, em atendimento ao anseio popular e também em defesa do Distrito Industrial que funciona no local citado.

Ao final o prefeito de Aracati, Ivan Silvério, se comprometeu com a Secretaria de Justiça, em no prazo de 60 dias doar um novo terreno para que em uma luta politica se consiga mudar o destino dos recursos já conquistados ou se inicie um novo processo.


Na ocasião também se fizeram presentes famílias de pessoas que estão privadas de liberdade na Cadeia Pública de Aracati, que reivindicam a construção de uma nova cadeia para evitar que presos de Aracati sejam transferidos para outros locais no estado, ocasionando desconfortos sociais a todas essas famílias.


ASCOM/PMA

Nenhum comentário:

Postar um comentário