quinta-feira, 9 de julho de 2015

Preso no Vale do Jaguaribe bandido considerado chefe de quadrilha de assalto a bancos no Ceará

Orlando Miranda de
Andrade Júnior, o
"Pará" comandava
o bando
Uma operação conjunta de policiais civis da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) e militares de uma operação conjunta de policiais civis da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF) e militares da Coordenadoria de Inteligência Policial (CIP), capturou na região do Vale do Jaguaribe, no Interior do estado, um bandido apontado como chefe da quadrilha responsável por uma sequência de ataques a bancos na região que compreende o Vale do Acarape e o Maciço de Baturité. LEIA MAIS

Orlando Miranda de Andrade Júnior, o “Pará”, foi preso num cerco da Polícia no bairro Ilha, na periferia da cidade de Limoeiro do Norte (165Km de Fortaleza). Em poder dele, a Polícia apreendeu parte do armamento do bando, um fuzil americano de marca Rugger, de calibre 5,56; além de duas pistolas, sendo uma de calibre 45 (de uso privativo das Forças Armadas Brasileiras), e outra de calibre Ponto 40 (.40), de uso restrito das forças policiais.


Um fuzil americano Rugger,
 calibre 5.56; e duas pistolas
 estavam com o chefe da quadrilha
 
Além das armas, a Polícia encontrou com o assaltante muita munição de diversos calibres e roupas camufladas e uma balaclava (capuz).

Segundo a Polícia, a quadrilha comandada por “Pará” teria sido a responsável pelos recentes ataques a bancos nas cidades de Barreira, Redenção, Ocara e Palmácia, onde agências do Banco do Brasil e do Bradesco foram “alvos” de explosão de artefatos em seus caixas eletrônicos e nos cofres-fortes.

Ataques em série

O grupo vinha sendo investigado sigilosamente pela DRF e pela CIP. Os ataques da quadrilha são sempre da mesma forma, com a explosão dos equipamentos bancários durante as primeiras horas da madrugada, quando, simultaneamente, parte do bando se encarrega de metralhar viaturas e os prédios dos destacamentos da PM nas cidades de pequeno e médio porte, anulando a pouca capacidade de reação da Polícia.

Somente nas cidades de Ocara e Barreira, a mesma quadrilha teria agido duas vezes neste ano. Em Barreira, por exemplo, a quadrilha explodiu os caixas da agência do Bradesco na madrugada de 19 de maio. No último dia 6, a cidade voltou a ser atacada e desta vez o “alvo” dos criminosos foi o Banco do Brasil, também explodido.

Uma farda camuflada
e muita munição
também foram
apreendidos com
 o assaltante
Já em Ocara, o primeiro ataque aconteceu no dia 3 de fevereiro, com a detonação de explosivos na agência do BB. No dia 5 de março, a quadrilha voltou àquela cidade e detonou a agência do Bradesco. Já na cidade de Redenção, o grupo armado agiu contra o Bradesco na madrugada de 29 de junho.

Neste ano, 37 assaltos a bancos foram registrados pela Polícia no Ceará. Além dos casos ocorridos no Maciço de Baturité e no Vale do Acarape (Ocara, Barreira e Redenção), houve registros de ataques com explosão de caixas e cofres em agências nas regiões do Vale do Jaguaribe (Iracema, Solonópole e Potiretama), na Região Norte (Irauçuba, Miraíma e General Sampaio), nos Sertões de Crateús (Tamboril) e no Cariri (Jardim).

Forte: Blog do Fernando Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário