sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Ao presidir sessão na Assembleia Legislativa, deputado Duquinha dirige ofensas à hora de radialista assassinado por pistoleiros em Camocim

Deputado disse no ar na TV Assembleia: 
"ele não valia nada"

“Deputado, com todo respeito, era coisa muito ruim esse homem. Com todo respeito, mas não valia nada”. Com estas palavras, o deputado estadual Manuel Duca da Silveira (Pros),  o “Duquinha”,  se referiu ao radialista Gleydson Cardoso de Carvalho, assassinado na tarde desta quinta-feira (6) na cidade de Camocim, em um crime de pistolagem.

As ofensas à hora do radialista morto foram feitas pelo deputado Duquinha quando este presidia a sessão da Assembleia Legislativa do Estado do Ceará na manhã de hoje.  Na ausência do presidente  da AL, Zezinho Albuquerque, e na qualidade de segundo secretário, o deputado conduzia os trabalhos da mesa diretora, quando passou a palavra ao deputado  Ely Aguiar. LEIA MAIS
Em um tempo bastante reduzido, Ely Aguiar se reportou sobre o assassinato do colega de profissão, denunciou a violência e a vulnerabilidade da segurança de radialistas e jornalistas. “O assassinato de radialistas no Ceará virou fato comum”, disse ele, enumerando vários casos, como o do radialista  Patrício Oliveira, na cidade de Brejo Santo (em março último) e de Francisco Rodrigues de Lima (em junho), na cidade de Pacajus.

Quando seu tempo  na tribuna já estava acabando, Ely Aguiar pediu a Duquinha que lhe concedesse mais alguns minutos, sendo atendido. No entanto, tão logo Ely concluiu sua fala, pedido a prisão dos matadores e do “safado” do mandante, Duquinha logo assumiu o microfone da Presidência da Assembleia e ofendeu a honra do radialista assassinado.

A TV Assembleia, que transmitia ao vivo a sessão, incontinenti tirou do ar o programa.

O crime

O radialista foi assassinado quando apresentava seu programa diário na Rádio Liberdade FM, na cidade de Camocim (373Km de Fortaleza). As dependências da emissora foram invadidas por uma dupla armada, que seguiu até o estúdio e passou a atirar. Gleydson recebeu três tiros à queima-roupa, um deles na cabeça. Chegou a ser socorrido, mas teve morte instantânea.


Na manhã desta sexta-feira, a Polícia cercou uma casa na zona rural do Município de Senador Sá (vizinho à Camocim), que seria o esconderijo dos pistoleiros e prendeu um casal. Outras pessoas fugiram. Dentro da residência foi encontrada uma foto do radialista.

Fonte: Blog do Fernando Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário