quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Mais estranho, impossível:

A Câmara Municipal de Maranguape, na Região Metropolitana de Fortaleza, extinguiu o mandato do vice-prefeito do município, Luciano Girão (PMDB). Segundo vereadores, o peemedebista exerceu ilegalmente a função de advogado enquanto vice-prefeito. O vice rebate acusação e afirma que irá recorrer na Justiça.  Com a decisão, o presidente da Câmara, Teógenes do Amanari (PCdoB) passa a ser o substituto legal do prefeito. A extinção do mandato partiu do próprio chefe do Legislativo, com base em relatoria do vereador Evaldo Batista (PP). A decisão, no entanto, não passou pelo plenário da Câmara Municipal.
Luciano Girão e o atual prefeito de Maranguape, Átila Câmara (Pros), estão rompidos desde a eleição do ano passado. Desde então, prefeito e vice têm trocado denúncias e acusações entre si.

Em entrevista ao O POVO, o vice-prefeito Luciano Girão afirma que irá recorrer da decisão na Justiça. Ele classificou a ação como “golpe à democracia” e destaca que decisão não passou pelo plenário da Câmara. Ele alegou ainda existência de outros casos onde o exercício da advocacia não foi considerado incompatível com o cargo de vice-prefeito.

Fonte: O POVO online

Nenhum comentário:

Postar um comentário