sábado, 26 de setembro de 2015

Voo Brasília/Juazeiro do Norte apresentou problema após sofrer um vento descendente

Na tarde de Sexta-feira, um Airbus A318 de prefixo PR-ONP que cumpria o voo ONE6125, Brasília – Juazeiro do Norte, arremeteu logo após sofrer um vento descendente já na hora do toque. Segundo passageiros pouco antes de aterrizar a aeronave baixou a asa e tocou um dos trens de pouso traseiro, fazendo assim a asa passar perto do chão, o motivo disso foi uma corrente de ar descendente conhecida como wind shear, ou tesoura de vento, este evento é causado pelas correntes convectivas verticais decorrentes do aquecimento do solo, ar instável e advecção de ar frio sobre o solo mais quente.
É mais comum e intensa sobre a terra, durante o dia, no verão. Este fenômeno meteorológico é perigoso, pois quase aconteceu um incidente, caso a aeronave trisca-se a asa no chão, porém, o treinamento dos pilotos, que é bem exigente, fez com que eles conseguiram arremeter com segurança e pousar a aeronave intacta.

Os pilotos cancelaram o plano de voo por instrumentos que é o plano de voo normal em linhas aéreas, onde a aeronave opera em péssimas condições meteorológicas dentro dos limites permitidos, e seguiu o plano de voo visual, onde os pilotos navegam por referencias visuais e que só pode ser voado se o piloto estiver com a devida referencia do solo.

Na sua aproximação a aeronave faz tipo um sobrevoo no aeródromo, aeroporto, onde ela faz quatro posições, chamadas de perna, que são: perna contra o vento, onde a aeronave fica paralela a pista na direção do pouso, perna de través, ficando na direção de travessia da pista, porém fora da pista; perna do vento, onde a aeronave fica a favor do vento, ou seja, contraria a posição do pouso, perna base, a aeronave fica de través com a pista e esta é a ultima posição antes da final, que é chamada de perna final.

Fonte: Grupo Cariri Ceará

Nenhum comentário:

Postar um comentário