sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Cid Gomes diz que se sente "aliviado" por agora estar longe do caos da Segurança Pública do Ceará

"Fiz tudo o que estava ao meu alcance", disse o ex-governador 
“Quando o assunto é Segurança Pública, sinto um alívio em não ser mais governador. Fiz tudo o que estava  ao meu alcance, mas o `Poder Público não tem capacidade para resolver sozinho este problema. É preciso reduzir as desigualdades”.

A declaração partiu, ontem, do ex-governador do estado, Cid Gomes, ao  ser abordado pela Imprensa sobre a revelação de que Fortaleza foi apontada como a capital brasileira de maiores taxas de homicídios, em 2014. Cid fez o desabafo quando participava, na quinta-feira, da inauguração da nova sede da Polícia Federal, nesta Capital.

Sem cerimônia, o ex-governador fez a declaração ao lado de seu sucesso, Camilo Santana (PT), que tenta, através de outras estratégias, reduzir a avalanche de assassinatos que domina o Ceará inteiro e apresenta números continuamente maiores, apesar do esforço do governo em dizer o contrário, com estatísticas que não refletem a realidade  das ruas nem são acreditadas pela população.

O Anuário da Segurança Pública, que apontou a Capital cearense com a que apresentou maior índice de homicídio no País (taca de 77 mortes para cada grupo de 100 mil habitantes) também revelou que o Ceará foi o quarto do País com menor volume de investimento na área da Segurança Pública no Brasil no ano passado.

Dinheiro

Cid reagiu, afirmando que em seu governo o Ceará teve o maior quantitativo de recursos aplicados no setor, contudo, ainda assim, tais investimentos não foram suficientemente capazes de frear a criminalidade, especialmente no que diz respeito aos homicídios, latrocínio e roubos seguidos de morte, batizados de Crimes Violentos, Letais e Intencionais (CVLIs) pelas autoridades da Segurança Pública.


Já o governador Camilo Santana afirma ter a confiança de que, com seu programa de combate à violência através do pacto com outros setores da sociedade, possa caminhar rumo a uma queda nos índices da violência. Ele prometeu, entre outras estratégias, ampliar a ação do Batalhão Raio (Rondas de Ações Intensivas e Ostensivas) para todo o estado, além de uma reestruturação do Ronda do Quarteirão e a instalação de bases da Ciopaer (Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas) também no Interior.

Fonte: Blog do Fernando Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário