sábado, 5 de dezembro de 2015

Conta de água terá aumento e tarifa de contingência

Em duas semanas, as leituras dos hidrômetros de imóveis começam a ter duas diferenças. Além da alta de 12,9%, em média, no valor total da conta, há ainda a possibilidade de aplicação de tarifa de contingência caso o consumo seja maior que 90% da média do ano anterior. Frente à situação hídrica do Estado, a meta é economizar, frisa João Rodrigues Neto, gerente de Concessão e Regulação da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece). E, caso a redução não seja sentida e a quadra chuvosa não seja satisfatória, há a possibilidade de a meta de redução ser ampliada no
ano que vem, ele adianta. O aumento da tarifa vai entrar em vigor proporcionalmente a partir do dia 19, para Fortaleza, e do dia 20, para o resto do Estado, explica João Neto. “Nas contas que forem entregues e lidas a partir dessas datas, já vai ser cobradas tarifa de contingência para quem não conseguiu economizar”.

Somente a partir de janeiro, segundo o gerente, é que todas as contas devem vir com o mês inteiro sob as novas regras. Para facilitar o cálculo, ele indica, a Companhia disponibilizou, no site, um simulador onde o cliente pode calcular quanto vai pagar a mais caso exceda a meta de consumo de água.

Mesmo vendo a possibilidade de pagar mais caro pela água, o pesquisador musical Caio Ramires, 28, acredita que a nova tarifa é necessária. “Em São Paulo, senti na pele o quanto é difícil viver com água de baixa qualidade, só duas vezes por semana e com pouca pressão. Foi uma série de situações que não quero que se repita aqui”, afirma. Por enquanto, contudo, ele ainda não sabe como realmente vão funcionar as novas medidas. “Fui pego de surpresa”. João Neto garante que as faturas, desde novembro, já são emitidas com a média de consumo e a meta a ser atingida.

Para evitar pagar a tarifa de contingência, João Neto indica, o ideal é que o consumidor acompanhe, periodicamente, a evolução do hidrômetro. “A gente está tentando, ao máximo, fazer com que os usuários economizem para dar sobrevida aos mananciais”, justifica. “Acreditamos ser o mais justo porque, se começássemos com racionamento, seria muito mais drástico”. Segundo ele, a Cagece não estabeleceu meta de arrecadação com a tarifa de contingência, mas os recursos devem ser aplicados em ações de melhoria da rede e prevenção de perdas.

Dificuldade

Síndica de um prédio no Bom Futuro, Sinhá Oliveira, 67, afirma que não sabe como diminuir o consumo nos 17 apartamentos. Como todos os moradores passam, praticamente, o dia inteiro fora de casa, vai ser difícil atingir a meta. “Ninguém estraga água. Não tem como economizar”, comenta. “Vai ser complicado”.

Serviço
simulador de tarifa de contingência da Cagece
Acesse: www.cagece.com.br
Atendimento Virtual > Tarifa de Contingência > Simulador

Para a consulta, é necessário ter o número de inscrição e o CPF ou CNPJ do cliente.

Saiba mais

A partir dos dias 19 e 20, as medições dos hidrômetros levam em conta os novos parâmetros, mas, nela, devem estar cobranças proporcionais. Por exemplo: se a conta do cliente é fechada no dia 29, a cobrança será feita com 10 dias na tarifa nova e 20 dias pela tarifa anterior.

O aumento será aplicado de forma escalonada conforme o consumo e o tipo de usuário. O menor índice (8,13%) será para os usuários das categorias Residência Social, Residência Popular (nos primeiros 10 m³) e Entidades Filantrópicas. O maior será de 19,5% nas demais categorias.

Para a aplicação da tarifa de contingência, será calculada a média mensal de consumo do imóvel no último ano. O cliente deve consumir 90% disso. Se passar, o excedente será calculado com um valor 120% maior que o normal.

A medida vale apenas para Fortaleza e Região Metropolitana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário