segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Controladoria vai investigar desentendimento entre delegado e PM em Caucaia

Várias viaturas em frente a Delegacia
Metropolitana de Caucaia
Imagem REPRODUÇÃO TV Diário
Caso ocorreu na noite do último sábado (26) após apreensão de um paredão de som
A Controladoria Geral de Disciplina (CGD) vai investigar um desentendimento entre um delegado e um policial militar que ocorreu, na noite do último sábado (26), na Delegacia Metropolitana de Caucaia (DMC), após a apreensão de um paredão de som. O órgão abriu uma sindicância e afirmou que nesta segunda-feira (28) irá divulgar detalhes sobre o caso.  A assessoria de imprensa da CGD informou, por meio de nota, que a
Delegacia de Assuntos Internos (DAI) receberá segunda o Termo Circunstancial de Ocorrência (TCO) e, só assim, poderá passar maiores informações sobre o caso.

Já o advogado da Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Ceará (Adepol),Leandro Vasques, informou que foi aberta uma sindicância na Controladoria para apurar um suposto desvio de conduta dos envolvidos. Segundo ele, ninguém foi preso e a sindicância não é um processo, mas uma apuração das alegações.

Entenda como ocorreu o desentendimento

O caso começou quando a Polícia foi acionada para retirar um equipamento de som que estava tocando em volume alto em frente ao Hospital Municipal de Caucaia. De acordo com informações da TV Diário, uma viatura foi ao local e pediu que o equipamento fosse desligado. O dono do som teria prontamente atendido ao pedido.

Momentos após a primeira abordagem, o aparelho voltou a ser ligado e a Polícia foi novamente contatada. Ao chegar ao local e constatar que o paredão estava funcionando, os policiais tiveram que apreender o equipamento e conduzir o proprietário para a Delegacia Metropolitana de Caucaia.

Na DCM, o delegado plantonista, identificado apenas como Átila, teria se desentendido com o policial militar, identificado comosoldado Júnior, na hora de fazer os procedimentos referentes a apreensão do equipamento. O delegado, então, resolveu fazer uma representação contra o PM. Ao saber do desentendimento, muitos policiais militares foram à delegacia prestar apoio ao colega.

O delegado começou a fazer um TCO quando a Controladoria foi acionada e uma viatura conduziu o PM até o órgão. Átila também foi à CGD, onde foi ouvido e concluiu o TCO. O policial militar também prestou depoimento e teria assinado um termo de compromisso.

Fonte Jornal Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário