quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Impeachment da incompetente Dilma Roussef e a desonestidade do Eduardo Cunha

Vejo com muita tristeza o jogo de interesses que se tornou a política brasileira. Dá nojo olhar para rostos de parlamentares quase desfigurados pela falta de vergonha, o medo da maioria dos suspeitos envolvidos em escândalos perderem seus mandatos, ou quem sabe, serem presos. Chega-se ao ponto de políticos bandidos chantagearem uns aos outros. Hoje (02/11/15) o deputado presidente da câmara federal Eduardo Cunha resolveu "ser honesto" com a população brasileira e dar de presente aos opositores a tão sonhada e desejada abertura do ritual visando votação para pedido de impeachment da presidenta incompetente Dilma Rousseff. Sim! Acho a Dilma incompetente, enrolada em seus pronunciamentos, não sabe o que quer, e talvez nem saiba o que faz ou deveria fazer um
chefe de estado, mas, quem foi quem disse que incompetência é requisito suficiente para destituir alguém do poder público? Afinal de contas, pra que é que serve mesmo eleições diretas onde "o povo elege" e "o povo tira?".

Por falar nisso, antes que alguém diga que estou em defesa da Dilma, vou logo afirmando que na minha humilde opinião; Dilma Roussef, Michel Temmer, Renan Calheiros, Eduardo Cunha, Aécio Neves e muitos outros dentro ou fora da política como; Genuíno, Dirceu, Collor, Malluf, Lula ou FHC, e outras dezenas de figurões, parlamentares ou presidentes de partidos envolvidos ou não no mensalão, petrolão e outros inúmeros escândalos de menor monta (mas, o suficiente para nos envergonhar há décadas), nenhum deles, estão na condição moral ou histórica para representar este imenso país rico de população pobre. Sempre tivemos que trabalhar para pagar os altos salários e as benesses desses engravatados que antes de cada eleição vestem roupagem de honesto, salvadores da pátria e acusadores dos defeitos dos adversários. Atiram pedras sobre os telhados dos demais mas esquece do próprio telhado de vidro.

Por isso somos pobres. Afinal, em casa de preguiçosos e desonestos, alguém precisa realmente trabalhar de verdade para sustentar os malandros que nos apelidaram de mané. O pior de tudo, é que a maioria dos brasileiros continuam desinformados e por apenas alguns segundos de informação sobre; “Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha abre processo de impeachment de Dilma” ... Pronto. Brasileiros e brasileiras já começam a espalhar que; “A presidente Dilma foi botada pra fora”. O pior! Começam a endeusar um picareta da pior espécie existente na escória da política nacional.

Nós, brasileiros, devemos ensinar aos demais que essa sinalização do legislativo é uma autorização. O primeiro passo para cassação ou não de um gestor político. Devemos ensinar que, o pedido autorizado será analisado por uma comissão especial formada por deputados representantes de todos os partidos, proporcional ao tamanho de cada bancada. Devemos ensinar que a presidenta não sairá já amanhã ou na próxima semana. Que ela terá o prazo de 180 dias para se defender, caso a comissão venha dar um parecer a favor da abertura do processo de impedimento que vai ao plenário. Se os deputados federais decidirem pela abertura do processo de impeachment, por dois terços dos deputados, Dilma Roussef será obrigada a se afastar do cargo por 180 dias, e o processo seguirá para julgamento do Senado.

por Sandro Guimarães
Jornalista MTE/CE 3040
Aracati em Foco
02/11/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário