quarta-feira, 23 de março de 2016

Concurso para o INSS. São 800 vagas para técnico do seguro social. Oportunidades são para todo o país

Agência do INSS em João Pessoa
(Foto: Diogo Almeida/G1)
O concurso do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) sempre desperta o interesse de candidatos de nível médio que buscam uma vaga em um órgão público, e isso não foi diferente em 2016. A seleção, que oferece 800 vagas para técnico do seguro social e salário de R$ 4.886,87, estava entre as mais aguardadas para este ano.

As provas estão previstas para o dia 15 de maio e terão 3h30 de duração. Os exames serão aplicados nos 26 estados e no Distrito Federal. A prova terá 50 questões de conhecimentos básicos nas disciplinas de ética no serviço público, regime jurídico único, noções de direito constitucional, noções de
direito administrativo, língua portuguesa, raciocínio lógico e noções de informática, e 70 de conhecimentos específicos das disciplinas de seguridade social.

O Cebraspe, antigo Cespe/UnB, é a organizadora responsável pela seleção. A prova valerá 120 pontos e é constituída de itens que deverão ser julgados como certo ou errado. A nota em cada item das provas será de 1 ponto positivo se a resposta estiver de acordo com o gabarito oficial definitivo, 1 ponto negativo se a resposta não estiver de acordo com o gabarito e 0 caso não exista marcação.

As oportunidades de nível médio são para o Acre, Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Rondônia, Roraima, São Paulo, Sergipe, Tocantins e no Distrito Federal.

No total, o concurso oferece 950 vagas, sendo 150 para analista do seguro social com formação em serviço social e 800 para técnico do seguro social. Os salários para nível superior chegam a R$ 7.496,09.
O G1 ouviu professores para dar dicas de estudo e destacar os conceitos mais importantes em cada disciplina. Os candidatos podem treinar seus conhecimentos com o simulado do Concurso Virtual

Veja as dicas gerais e por disciplina para o cargo de técnico do seguro social:

Dicas gerais

Segundo Rodrigo Lelis, professor do Universo do Concurso, é importante ter atenção especial com direito previdenciário, disciplina que compreende 70 das 120 questões da prova. "Os candidatos devem estar bem preparados, principalmente porque é uma disciplina que sofreu diversas alterações ao longo do último ano", afirma.

Apesar da importância de direito previdenciário, Marcelo Marques, direito geral do Concursos Virtual, lembra que as demais matérias não devem ser esquecidas. "Negligenciar as outras disciplinas pode ser o caminho mais rápido para a reprovação. Uma boa tabela de estudo, que distribui o tempo de forma ponderada com a importância quantitativa de cada disciplina, é essencial".
Realizar questões de provas anteriores deve fazer parte da rotina de estudos dos candidatos, tanto as do concurso de 2012, organizado pela Fundação Carlos Chagas (FCC), como o de 2008, organizado pelo Cespe/UnB.

Sobre o Cebraspe, Lelis afirma que a banca não cobra apenas a literalidade da lei e cobra, inclusive em provas de nível médio, jurisprudências, principalmente do Supremo Tribunal Federal (STF) e conhecimentos aplicados a situações concretas.

"O ideal é que o candidato faça toda a prova respondendo as questões que tem certeza, deixando as demais para o final. Depois, ele deve analisar com calma para ver se realmente vale a pena responder as questões em branco e correr o risco de perder pontos", ressalta Lelis.

Ética no serviço público

Segundo Maurício Soares, professor do Concurso Virtual, assuntos relacionados aos principais deveres e vedações do servidor são recorrentes, ao analisar provas anteriores. "Assuntos como embriaguez, faltas sucessivas, e envolvimento da vida particular na vida pública aparecem em quase todas as provas".

Soares recomenda a leitura dos decretos 1.171/94 (Código de ética profissional do servidor público civil do Poder Executivo Federal) e 6029/07 (Sistema de gestão da ética).

Noções de direito constitucional

Direitos individuais e coletivos e direitos políticos estão entre os temas favoritos para a prova, segundo Paulo Velloso, professor de direito constitucional para concursos. Ele ressalta que a o conteúdo cobrado será enxuto, mas exigirá atenção dos candidatos.

"A dica é se dedicar à letra da lei, pois acredita-se que a estratégia da prova será esta: alterar uma palavra ou frase. Mínimos detalhes para que o candidato seja induzido ao erro", completa Velloso.

Noções de direito administrativo e Regime jurídico único

Alexandre Prado, professor do Concurso Virtual afirma que o conteúdo da disciplina é extenso e engloba o tópico de regime jurídico único, que compreende além da Lei 8.112/90 (Regime jurídico dos servidores públicos civis da União), dois temas novos: servidor público como agente de desenvolvimento social e saúde e qualidade de vida no serviço público.

"A banca costuma abordar diversos pontos do edital em apenas um item, chegando até a abordar item multidisciplinar, onde, por exemplo, a mesma questão cobra direito administrativo e constitucional".

Segundo Prado, o candidato deve ter um excelente conhecimento da legislação, ou seja, dos dispositivos legais, para analisar o que é perguntando, observando o comando da questão para que a resposta se atenha somente a isso.

Língua portuguesa

"A prova da banca mistura questões de interpretação e compreensão textual com questões sobre aspectos linguísticos presentes no texto", diz Alexandre Luz, professor de língua portuguesa para concursos.

Pontuação (com ênfase na justificativa para o uso da vírgula), valor semântico dos conectivos (conjunções e preposições), uso do pronome relativo atrelado a casos de regência e concordância são os tópicos mais frequentes nas provas da banca.

Na parte de compreensão e interpretação textual, Luz indica que o candidato fique atento às relações de causa e efeito (a banca costuma invertê-las), condição (atenção aos verbos no modo subjuntivo, transmitindo a noção de hipótese) e finalidade.

A prova também vai cobrar a redação de correspondências oficiais, conforme Manual de Redação da Presidência da República. Segundo Adriano Vieira, professor do Universo do Concurso, entre os conteúdos cobrados estão linguagem utilizada nos atos e comunicações oficiais, fechos dos documentos, vocativos e pronomes de tratamentos das autoridades públicas.

Raciocínio lógico

"A banca tinha o costume de exigir sempre o mesmo conteúdo, mas mudanças foram feitas para o concurso do INSS e o conteúdo ficou menor. Alguns tópicos como análise combinatória e probabilidade foram retirados", afirma Domingos Cereja, professor do Universo do Concurso. Segundo ele, lógica proposicional, conjuntos e porcentagem serão temas cobrados na prova.

Lógica proposicional deve ganhar atenção especial do candidato. "Questões como o entendimento da tabela verdade, negações e equivalências de proposições compostas e argumentação são normalmente exigidas nas provas da banca".

Noções de informática

A banca alterou o conteúdo programático e agora vai cobrar apenas o Libre Office, onde de costume a banca também abordava em seu certame o pacote Office da Microsoft. Outra novidade é a inclusão do sistema operacional Windows 10, o mais recente da Microsoft.

"Os candidatos devem ficar atentos a temas relacionados a tecnologia de redes de computadores, internet, e-mail, nuvens, redes sociais e segurança da informação que são os tópicos mais abordados nos concursos organizados pela banca", afirma Jorge Alonso, professor do curso Equipe Rio.

Seguridade social


Segundo Hugo Goes, professor do Concurso Virtual, a prova vai cobrar os artigos 194 a 204, a Lei 8.212/91 sobre custeio da seguridade social, a Lei 8.213/91 que trata dos benefícios do regime geral de previdência, o decreto 3.048/99, sobre o regulamento da Previdência Social. Goes também indica o estudo da instrução normativa INSS 77/2015, que estabelece rotinas para agilizar e uniformizar o reconhecimento de direitos dos segurados e beneficiários da Previdência Social.

Pâmela KometaniDo G1, em São Paulopublicado em 04/03/16

Nenhum comentário:

Postar um comentário