sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Bandas de Forró. Cerca de R$ 600 mil em espécie foram apreendidos nas empresas e casas dos investigados.

Golpe aplicado por empresários e artistas de forró deve ser julgado pelo mesmo juiz que condenou envolvidos no crime do Banco Central

Computadores, planilhas de custos, contratos de shows, documentos diversos, além de outros objetos apreendidos durante a “Operação For All”, desencadeada pela Polícia Federal e Receita Federal na manhã da última terça-feira (18), já estão sendo analisados pelo setor de Perícia Contábil da PF e pela própria
Receita. O exame pericial desse material  pode revelar que a sonegação de impostos por empresas de entretenimento e bandas de forró cearenses  ultrapassa a estimativa inicial de R$ 500 milhões.

As investigações da PF e da Receita agora estão nas mãos do juiz titular da 11ª Vara da Justiça Federal no Ceará, Danilo Fontenelle, um magistrado zeloso e rigoroso nas suas ações processuais, com larga experiência no manejo de processos judiciais federais que envolvem organizações criminosas. Foi da lavra dele a sentença que condenou mais de 100 pessoas envolvidas no milionário furto no Banco Central, em Fortaleza, em 2005.

Por: Fernando Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário