segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Garoto de 13 anos se enforcou porque perdeu um jogo online! Que valores espirituais essa nova geração possui?

Gustavo Detter tinha 13 anos
(Foto: Arquivo Pessoal)
Postado por Henrique em 17 outubro 2016 
Esse caso absurdo, que acabou de acontecer em São Vicente, litoral de São Paulo, traz à tona a questão: Que valores espirituais essa geração online possui? Eles passam o tempo todo trancados no quarto, jogando, acessando internet, trocando mensagens instantâneas pelo WHATSAPP, sempre com a ambição da fama, do sucesso rápido, etc...

Os pais precisam prestar mais atenção aos seus filhos e assumir a responsabilidade da EDUCAÇÃO! Os próprios pais estão se viciando nas novas tecnologias e até acham bom que as crianças e adolescentes se afundem na tecnologia. Dessa forma, eles, os próprios pais, também têm tempo para satisfazer seus vícios! E você, o que acha disso tudo??? 
Deixe sua opinião!
  
Matéria do G1.com

Menino morre após partida de game online e amigos notam pela webcam
Gustavo Detter, de 13 anos, se enforcou na casa do pai em São Vicente, SP.
Tio alerta para perigo dos jogos e acredita que sobrinho foi induzido.

Um garoto de 13 anos morreu menos de 24 horas depois de ser encontrado dentro do quarto do pai enrolado com uma corda no pescoço diante de um computador. A suspeita da família é que o incidente tenha relação com o desafio de um jogo online do qual Gustavo Riveiros Detter brincava com amigos e acabou perdendo.

Após o próprio enforcamento com uma corda que sustentava um saco de boxe no teto, o estudante, que estava em São Vicente, no litoral de São Paulo, chegou a ser socorrido com vida para um hospital da cidade ainda na noite de sábado (15), mas morreu neste domingo (16)

Um tio materno da vítima disse ter colhido informações sobre a morte do garoto e relatou, no boletim de ocorrência, que o sobrinho brincava online com outros três colegas quando aconteceu o enforcamento. A cena teria sido acompanhada em tempo real pelos outros participantes do jogo, já que todos usavam a internet com uma webcam conectada para se comunicar durante as partidas.

De acordo com as conversas obtidas pelo parente em aplicativos de mensagens e no próprio computador usado por Gustavo, essa não seria a primeira vez que o estudante teria participado de um suposto desafio. Um dos jogadores escreveu em uma das conversas que achava que o 'Detter' (sobrenome da vítima) tinha ido se enforcar de novo.
Pela transmissão ao vivo da webcam, os colegas perceberam que a vítima parecia estar "desfalecida" e pediram para que uma prima que estava no quarto ao lado de Gustavo fosse verificar.

Assustada, a garota chamou os tios, que conseguiram reanimar Gustavo. Em seguida, por volta das 22h40, os familiares chamaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) para levá-lo até o Hospital Municipal de São Vicente.

Já na manhã do último domingo, Gustavo foi transferido por volta das 5h30 para o Hospital Ana Costa, em Santos. A morte dele foi confirmada poucas horas depois. Ainda de acordo com o boletim de ocorrência, o tio de Gustavo, que registrou o caso na delegacia, acredita na hipótese de que os demais jogadores tenham induzido o sobrinho ao fato e alerta para o perigo dos jogos online.

O caso foi registrado no 7º DP de Santos, mas será investigado pela Delegacia Sede de São Vicente.

Caso será investigado pela Delegacia Sede de São Vicente
(Foto: Jéssica Bitencourt / G1)

Caso sério

Há alguns anos, algumas escolas do país começaram a alertar os pais para uma prática perigosa que os adolescentes têm feito até mesmo dentro das salas de aula. É o chamado "jogo do desmaio" ou Choking Game.

Vários vídeos de jovens se espalharam pela internet exibindo uma "brincadeira" que pode levar à morte já que os movimentos têm por objetivo diminuir a quantidade de sangue no cérebro.

Na queda podem ocorrer lesões pelo corpo e até traumatismo craniano. Se existir alguma pré-disposição, o adolescente pode sofrer uma parada cardíaca e a falta de oxigênio no cérebro pode deixar sequelas graves, para o resto da vida.


2 comentários:

  1. Motivos as pessoas sempre tiveram e têm para cometer suicidio. Não é a perda do jogo que o responsável, caso contrário não teríamos casos de sucidio a uns 50 anos atrás. Também não acredito que proibir nossos filhos de jogar vai acabar com os suicidios. Matéria bastante exagerada, talvez quem escreveu tenha algum vínculo com o menino...

    ResponderExcluir
  2. Amanhã, 18 de outubro, Demétrio Jereissati, Diretor do Instituto DimiCuida, estará presente no programa “Encontro com Fátima Bernardes” em um diálogo sobre as Brincadeiras Perigosas, alertando acerca dos riscos, formas de prevenção e sinais da prática dos jogos de não-oxigenação.Além do G1, passou a matéria com entrevista do tio no JH

    ResponderExcluir