quinta-feira, 2 de março de 2017

Cadeia Pública de Aracati. Exemplo através do estudo

Uma parceria com os internos, a professora da Cadeia Pública de Aracati criou o lema que vem refletindo os bons resultados da educação na unidade prisional

A 150km de Fortaleza, a Cadeia Pública de Aracati vem ganhando destaque entre as 54 unidades prisionais do Ceará que possuem oferta de escolarização, por, a cada ano, garantir aprovação de algum de seus internos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e no Programa Universidade Para Todos (ProUni).

No ano de 2016, dos 13 internos aprovados no Prouni, cinco eram de Aracati. Em 2017, um interno foi aprovado no Enem e três
conseguiram certificação do ensino médio com a nota da prova. Com a nota do Enem, José Ruy Barbosa conseguiu a aprovação no curso de Engenharia de Aquicultura no Instituto Federal do Ceará (IFCE) de Aracati. Ele, que hoje cumpre pena no regime aberto, já realizou matrícula e iniciará os estudos em breve. Aos 43 anos, Ruy Barbosa conta que nunca havia pensado em fazer faculdade.

Foi dentro da unidade prisional que a oportunidade se apresentou e ele tratou de se agarrar a ela. Em fevereiro, 37 alunos foram certificados em cursos profissionalizantes pelo Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico (Pronatec). Foi a primeira vez que a unidade ofereceu um curso de capacitação.

Ações como essa aumentam as possibilidades de reinserção no mercado de trabalho e da conquista de trabalho autônomo, como explica o diretor da unidade, José Martins: “Quando eles percebem que podem aprender aqui dentro e se terem novas oportunidades quando saírem da prisão mudam o comportamento aqui dentro”. A rotina de estudos na CP de Aracati As aulas na cadeia pública acontecem semanalmente, nos turnos da manhã e tarde, divididas por segmentos. O primeiro segmento corresponde às turmas de 1º ao 5º ano do ensino fundamental, e o segundo, às turmas de 6º ao 9º ano, sendo cada turma composta por 15 alunos atualmente.

A professora Leureni Alves, que trabalha na unidade desde 2012 e coordena as turmas, conta que criou com os alunos o lema “Nosso objetivo é nos tornarmos seres pensantes”. Isso porque ouviu de muitos deles que estavam cumprindo pena por não terem pensado nas consequências de seus atos. Ela aposta que, a partir dos estudos, é possível mudar essa realidade: “Quando eles começam a pensar, a se questionar e refletir antes de fazer qualquer coisa, as más ações diminuem e os bons resultados surgem”, afirma.

A cada ano que passa, os bons resultados da Cadeia Pública de Aracati mostram que vale a pena o investimento na educação em prisões. O assessor educacional da Sejus, Rodrigo Moraes atribui esse sucesso ao empenho da equipe da unidade: “A oferta de aulas tem sido transformadora para os internos, proporcionando melhores condições para o retorno ao convívio social”, comemora.  

Fonte : Secretaria de Justiça do Ceará

Nenhum comentário:

Postar um comentário