domingo, 30 de julho de 2017

Novo manifesto a caminho das praias de Aracati gera caos e revolta no trânsito

Não resta a menor dúvida que o direito de pleitear ações dos poderes constituídos em prol da população será sempre legítimo e eficaz para a
conquista desses direitos, mas, será mesmo que interditar estradas, pontes ou qualquer espaço garantido a TODOS os cidadãos pelo direito de ir e vir é realmente válido e
recebe o apoio da maioria!?

Foto de uma motorista chateada tentando retornar com os filhos a Aracati

Neste domingo, novamente a estrada CE que interliga o acesso às praias de Aracati, quem chega de Mossoró-RN, Vale do Jaguaribe e toda extensão pelo
litoral leste até a capital cearense Fortaleza, foi interditada pelos moradores do Córrego dos Rodrigues gerando desconforto e transtornos a milhares de famílias que ficaram de "molho" embaixo de sol escaldante tanto para quem ia ou pretendia retornar de viagem.

Muitos, principalmente aqueles que temem pela vida de familiares nas imediações do Córrego dos Rodrigues apóiam mesmo sem necessidade de participar dos movimentos. Outros, a exemplo do fazendário Álvaro de Castro Freire discordam desse tipo de ação e até sugere que, "existem meios legais para exercer o direito a cidadania sem causar transtornos a terceiros". Vejamos abaixo o que relata Álvaro Freire através de seu Facebook:

"Irresponsabilidade Social
Mais uma vez, em nosso Aracati, a irresponsabilidade de uns, afeta toda a comunidade. Interditação da estrada Aracati - Canoa Quebrada. Trânsito intenso, parado. O Direito de poucos não pode se sobrepor ao Direito de todos. Isto é basilar. O Direito de ir e vir está consagrado em nossa Constituição. E urgente Criminalizar os responsáveis. Chega de interditar Pontes, Estradas, Etc. Querem exercer o legítimo Direito de reclamar, escolham meios legais. Não há exercício do Direito à margem da Lei. Providências, Já."

Álvaro Freire que é pai do vereador Andrei Freire também atribui a ação a movimentos politiqueiros onde algumas pessoas insatisfeitas com a classe política, em especial aos atuais governantes sejam eles de qualquer esfera nacional, estariam se aproveitando de algumas situações legítimas apenas para criar novos fatos. Álvaro cita que, "no caso da sinalização recentemente instalada na CE 315 com intuito de diminuir a velocidade de veículos, se a comunidade discorda do local, o mais correto seria procurar os órgãos responsáveis e reivindicar a mudança". Observemos o que ele diz quando questionado sobre a "inércia" do poder público:

               "No caso concreto não houve inércia. A Câmara Municipal aprovou o requerimento ao DER de autoria do Vereador Andrei Freire solicitando instalação de sonorizador redutor de velocidade, que através do Prefeito Bismarck foi atendido em tempo relativamente curto. Os oportunistas de plantão estão fazendo política rasteira. Os equipamentos, foram instalamos ontem, se não atendia as comunidades, pq não ter esperado a  segunda-feira para dialogar com o Poder responsável. A interdiçao causa inúmeros prejuízos ao Município e não tem cunho legal. Vamos contribuir para o crescimento de nossa Cidade sem o açodamento do vies politico".

É o debate continua. Particularmente não sou favorável a luta pelas conquistas sociais quando interferem no direito de quem não tem interesse em participar de forma forçada, a exemplo de: crianças, idosos, hipertensos, enfermos em busca de tratamento ou simplesmente também desejando ser respeitado em seu legitimo direito de ir e vir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário