terça-feira, 1 de agosto de 2017

Diferença de tratamento entre perigosos criminosos e aquele que furtou o pacote de leite para alimentar o filho

Enquanto muitos pais de família enfrentam a fila do desemprego uns vivendo de favores ou ajuda de amigos e familiares, outros
pedindo esmolas para não ter que roubar, e outros até mesmo furtando farinha, açúcar, verduras no mercado, outros passando por dupla humilhação quando flagrado entre as vestes levando um pacote de leite para levar para os filhos e são presos por quatro meses ou mais, pois não dispõe de dinheiro para pagar fiança! Obviamente que não apoio seja lá qual for o tipo de roubo ou furto mas, analisarmos abaixo:

Criminosos profissionais estão atirando contra policiais, aterrorizando inocentes, explodindo bancos e até são batizados com nome e número nos cadastros das facções, quando presos, logo são liberados pela justiça e claro, para continuar no crime, já que nada mais tem a perder.

No dia 23 de julho foi preso em flagrante na Av. Mister Hull em Fortaleza, com seis armas, sendo uma delas um fuzil 556 que derruba até helicóptero, Abimael Mendes de Sousa, 21. Ele estava na companhia do comparsa Diogo da Silva Santos em um veículo. Quatro dias depois, mais propriamente no dia 27/07 os dois foram liberados em uma audiência de custódia.

Os profissionais 

No dia da fuga, houve troca de tiros e a dupla deixou cair em via pública o fuzil e uma pistola 9 milímetros. As demais armas foram localizadas no veículo, abandonado em uma rua no Antônio Bezerra. Os dois foram presos em seguida. Abimael responde na Justiça por tráfico de drogas e até homicídio.
No dia da prisão, ele foi levado à delegacia e autuado por porte de arma de fogo e porte de arma de fogo de uso restrito.
Segundo uma fonte ligada à Polícia Civil, Abimael é envolvido com a facção Comando Vermelho (CV). Já o grupo suspeito do ataque à delegacia seria formado por rivais, da Guardiões do Estado (GDE).

Por que Abimael foi solto
O jornal O Povo teve acesso à decisão do juiz da 17ª Vara Criminal, a Vara de Audiências de Custódia, José Ronald Cavalcante Soares Júnior. Ele afirma que, “como forma de evitar encarceramento prévio e na tentativa de trazer os indiciados para o convívio social salutar” substitui “a prisão preventiva para garantia da ordem pública por medidas cautelares diversas”. Assim, determinou a soltura de Abimael e Diogo.

Abimael deve comparecer, no período de cinco meses, à sede da Central de Alternativas Penais e comunicar qualquer mudança de endereço. Ele deve permanecer em casa entre 21 e 6 horas.

Por meio de nota, o Tribunal de Justiça do Estado do Ceará (TJCE) informou que, na audiência de custódia, foram levados em consideração o fato de os indiciados, segundo certidões fornecidas, serem tecnicamente primários (sem condenação transitada em julgado) e um parecer favorável do Ministério Público do Estado (MPCE).

O processo será distribuído e, após a conclusão do inquérito, terá início a instrução penal, podendo a decisão ser reanalisada pelo juiz natural do caso.

Com informações do O POVO

Nenhum comentário:

Postar um comentário