sábado, 28 de outubro de 2017

Futebol cearense em alta

Leandro Lima é
comentarista
esportivo
O final do ano esta chegando e como já é de costume, fazer uma análise do nosso futebol é a tarefa de todos aqueles que vivem e convivem com a bola que rola nos gramados cearenses.

Analisar o desempenho da dupla Ceará e
Fortaleza e fazer uma comparação com os times dos Estados vizinhos é a base para se chegar as variadas conclusões do sucesso ou, na maioria das vezes, do fracasso do nosso futebol. Mas analisar 2017 será de certa forma uma análise positiva, olhando o nosso futebol de forma bem mais ampla e abrangente.

Se formos falar apenas da dupla vovô-tricolor, os resultados são quase que perfeitos. Partindo da premissa que o leão conseguiu seu tão sonhado acesso a série B e o alvinegro possui grandes chances de chegar a elite do futebol brasileiro, o ano de 2017 já está sendo maravilhoso para as duas maiores torcidas do Estado, claro que, na expectativa da concretização do acesso do Ceará.

Mas o futebol cearense vai além de Ceará e Fortaleza. A histórica terceira força do nosso Estado, o Ferroviário, voltou a elite do futebol estadual meio que de surpresa, mas surpreendeu a todos chegando até a final do campeonato cearense desse ano garantindo um calendário recheado para o ano que vem.

A Taça Fares Lopes, uma espécie de segundo campeonato estadual, vem revelando boas surpresas do interior do Estado como a equipe do Iguatu, que chegou até a semifinal da competição com uma forte organização administrativa e financeira fazendo ressurgir o futebol do Centro-Sul do Estado.

O Horizonte, que visitou a segunda divisão do Estadual, volta a primeira divisão com a expectativa de retomar o posto de time modelo em planejamento e resultados a curto prazo como foi a sua participação em edições da Copa do Brasil enfrentando gigantes do futebol brasileiro. E como não falar do Floresta, time da capital cearense conhecido pelo trabalho feito nas categorias de base, que vem dando os seus primeiros passos dentro do futebol profissional e que garantiu acesso a primeira divisão cearense, como também, irá disputar o título da Fares Lopes com o Fortaleza em busca de uma inédita vaga na Copa do Brasil.

Outra boa perspectiva para 2018 é a tradicional Águia da Precabura, o Uniclinic, time que realizou uma campanha vexatória na Copa do Nordeste desse ano mas, após a aquisição do clube pelo jogador cearense Ari, vem com o claro objetivo de ser novamente um clube forte nas categorias de base e competitivo nas competições a nível de Estado.

Gratas novidades ainda continuam surgindo nesse ano de 2017 como a equipe do Caucaia, Pacajus e Barbalha que iniciam suas caminhadas na terceirona cearense em busca de um lugar ao sol nos próximos anos.

Quando comparamos o desempenho do futebol cearense com alguns estados vizinhos como Pernambuco e Rio Grande do Norte, verificamos que o futebol alencarino vive um momento de promissor crescimento dentro do cenário local e nacional. A grande expectativa é para que Ceará e Fortaleza consigam se organizar de forma concreta, com profissionais que consigam enxergar o potencial de suas torcidas criando um modelo de gestão que permita enfrentar o preconceito e o abismo econômico entre o futebol da região Nordeste com o Centro-Sul do país. Em relação aos  times do interior e da região metropolitana do Estado, espera-se que eles não estejam vivenciando apenas os ares sujos, e nefastos das campanhas eleitorais que ocorrerão em 2018. Que patrocínios e apoios não estejam vinculados apenas a interesses demagógicos da classe política do nosso Estado, atrasando e criando a falsa ilusão de evolução do nosso futebol.

Por Leandro Lima
Comentarista de futebol na Rádio Sinal de Aracati 91,1, Web Rádio Aracati e Pacatuba em Foco

Nenhum comentário:

Postar um comentário