segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Nota do Chefe da Casa Civil da Prefeitura do Aracati

Em resposta aos comentários do radialista Rafael Barbosa, emitido em seu programa na FM Canoa ao meio dia desta segunda feira, quando o mesmo declarou dizendo que, o próprio chefe da Casa Civil Guilherme Bismarck, teria lhe pedido, durante um encontro
com a membros da imprensa no Aracati, que o radialista, "procurasse os defeitos de duas secretarias municipais e do presidente da Câmara Municipal de Aracati, e batesse pesado em suas respectivas gestões, inclusive citando nomes de testemunhas da conversa". Em resposta, o Chefe da Casa Civil, lançou nota através de seu Facebook inclusive marcando o nome do radialista denunciante, e esclareceu os seguintes pontos;


"Rafael Barbosa
Vamos aos fatos da nossa conversa no dia 22 de agosto, logo após a reunião com representantes da imprensa, onde ficamos conversando SOMENTE EU E VOCÊ, aqui no paço, debaixo do pé de seriguela no jardim. Todos viram. Eliane Curvelo NÃO estava
presente. Não envolva ela nem ninguém.

1) Soube naquela semana que, por causa do filho do seu chefe ser secretário a época, você estaria omitindo, deixando de falar no seu programa, denúncias na saúde.

2) Te chamei e disse que não concordava com isso, que, como Casa Civil, vocês da imprensa me ajudavam a mostrar coisas que os secretários as vezes não percebiam e não chegavam aqui no gabinete.

3) Te disse à época: “se tiver denúncia ou alguma coisa errada, pode BATER SIM, DEVE!”

4) E complementei: “aliás, não só pra saúde, serve pra TODAS as secretarias.”

5) No decorrer da conversa lhe falei abertamente, como já falava pra várias pessoas, que não estava satisfeito (À EPOCA) com a secretaria de Saúde, o Desenvolvimento Social e o Esporte, que elas, por sua importância, podiam muito mais. Por isso que se houvesse algum pedido do seu chefe para omitir as críticas a estas pastas, que por favor tentasse manter o mínimo da sua independência como jornalista e denunciasse sim. HOJE, a atuação do prefeito junto com os secretários resolveram em grande parte as questões. E meu papel, como Casa Civil, primeira vez que existe isso na prefeitura do Aracati, é cobrar, cobrar e cobrar. Mais ainda, cobrar a excelência dos secretários.

6) Você vivia se queixando que sua audiência estava caindo porque não podia bater na administração. E eu te disse para não fazer isso. Que isso ia te lascar. Tudo que fosse verdade, deveria ser denunciado no seu programa.

7) Seus colegas da imprensa: Folha de Aracati, Sidnei Sena e outros, podem confirmar que repito sempre pra eles: fiquem livres.

8) Suas queixas tinham objetivo: vender caro seu suposto silêncio. Só que não caímos nessa velha política. Você e seu grupo desembarcaram da base do nosso governo por que não lhes foram atendidos as bene$$es que eram acostumados. TODOS SAIRAM. Inclusive, sua possível ida pra TV Sinal, para um programa ‘policial’, descobri depois, em conversa com Ferrerinha, Expedito Ferreira, de quem me tornei amigo, que você estava mentindo pros dois lados: vendeu para a TV a ideia do programa, e vendeu pro seu chefe que tinha sido convidado e sairia da rádio. Bem ao estilo: “mãe, papai deixou. Pai, mamãe deixou”. Coisa Feia. Malandragem.

9) Na reunião com a imprensa deixei bem claro que nosso objetivo, prefeitura e jornalistas, seria tirar a politicagem da imprensa aqui do Aracati. TODOS que me conhecem sabem o quanto defendo isso.

10) Todos viram que, a única coisa que pedi na reunião, e em seguida pedi muito fortemente pra você foi: “podem e devem denunciar tudo, mas sigam a regra da aula 1 de Jornalismo: ouçam o outro lado, peçam a resposta para a prefeitura”.

11) Você e alguns outros parecem que não entenderam a regra 1ª do jornalismo. O que me leva a crer que querem mesmo é continuar a travestindo sua POLITICAGEM de baixíssimo nível de ‘jornalismo opinativo’. Objetivo: vender caro suas críticas ou elogios.

É uma pena. Como tenho falado várias vezes, o povo não aguenta mais essa politicagem em tudo. Mentiras e mentiras. Acabem com isso. Se salve, Rafael. Salve sua isenção. O povo está atento. Há dez anos atrás você deitava e rolava nesse microfone da rádio. Lascava a vida de alguém que não tinha meio de se defender. Aí veio o Facebook. As mídias sociais estão pegando vocês de jeito. Se acostumem com a transparência!
A nossa administração está voltada para o povo, não é pra vocês não.

Assunto encerrado.

#VivaOnovoWWWundo "

Nenhum comentário:

Postar um comentário