segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Justiça pede prisão de rapaz que matou ex namorada e passou a noite com cadáver na moto

Justiça pede prisão preventiva de ex-companheiro de Stefhani.
A Justiça do Estado do Ceará determinou, nesta sexta-feira (5), a prisão preventiva de Francisco Alberto Nobre Calixto Filho, principal suspeito pela morte de Stefhani Brito, de 22 anos. Francisco Alberto é apontado como ex-companheiro da vítima.


O mandado de prisão foi expedido pela juíza do Plantão Judiciário da Comarca de Fortaleza, Elizabeth Santos Vale Rodrigues, atendendo ao pedido da Polícia Civil. O documento é valido por 20 anos.

Francisco Alberto agora é procurado pela polícia e seu nome consta no Banco Nacional de Mandados de Prisões.

A juíza informou que a investigação do crime está sendo efetuada pela Delegacia da Mulher. Como justificativa para o pedido de prisão, Rodrigues destacou a gravidade do delito aliado ao clamor da sociedade por justiça; a periculosidade do indiciado e o risco iminente às testemunhas.

Entenda o caso

O corpo de Stefhani foi encontrado na noite do primeiro dia deste ano nas proximidades da Lagoa da Libânia, no bairro Mondubim. Populares do bairro disseram ter visto um homem em uma motocicleta, que seria Francisco Alberto, transitando por horas com a vítima na garupa.

Ainda conforme os populares, Stefhani já aparentava estar morta e tinha vários hematomas no corpo. Após transitar por horas com o corpo da ex-companheira, Francisco Alberto abandonou o corpo na Lagoa da Libânia e fugiu.

Stefhani Brito foi sepultada na terça-feira (3)

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o corpo foi encontrado com lesões provocadas por um objeto contundente, conforme análise da Perícia Forense do Ceará (Pefoce). Além disso, uma fonte da Polícia Civil, que não quis se identificar, informou que há indicativos de que Stefhani foi espancada antes de ser morta.

Ainda conforme o policial, os primeiros levantamentos dão conta que Stefhani Brito já tinha sido agredida outras vezes pelo suspeito do crime.

Fonte: Diário do Nordeste, caderno Polícia

Nenhum comentário:

Postar um comentário