sexta-feira, 27 de abril de 2018

Estado socorre Santa Casa com R$ 10 milhões. A Instituição vai receber também R$ 100 milhões para participar do programa de realização de cirurgias do Governo

A Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza tem 156 anos de fundação. Com a ajuda de voluntários e doações na conta de energia elétrica, a unidade hospitalar sobrevive em meio às dificuldades financeiras enfrentadas ( Foto: Natinho Rodrigues )
O governador Camilo Santana anunciou,
nessa quinta-feira (26), por meio de sua conta no Facebook, a liberação de R$ 10 milhões para ajudar na manutenção da Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza.

O anúncio foi feito por Camilo Santana durante reunião, na tarde de ontem, com Luiz Marques, provedor da instituição. Na ocasião, também garantiu o credenciamento da Santa Casa para participar do programa de realização de cirurgias do Governo do Estado.

Segundo Camilo Santana, o objetivo da medida é beneficiar "milhares de cearenses que hoje aguardam na fila para realizar seus procedimentos. Para esse programa, Camilo Santana afirmou que serão destinados R$ 100 milhões.
Patrimônio

"Nosso objetivo é sempre melhorar os serviços de saúde em nosso Estado. A Santa Casa de Misericórdia é um patrimônio do povo cearense e sempre terá o meu apoio", disse Camilo Santana, ao concluir seu pronunciamento através do Facebook.

A Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza tem 156 anos de fundação. A instituição vem passando por momentos difíceis. De há muito, com a ajuda de voluntários e doações na conta de energia elétrica, a unidade hospitalar sobrevive em meio às dificuldades financeiras enfrentadas. Médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagens e diversos outros profissionais trabalham no limite do serviço para atender ao máximo de pacientes com cirurgias e consultas.
Interior

A importância do Hospital é tamanha que, para residentes do Interior do Estado, sobretudo as populações mais humildes, a Santa Casa é a única opção de atendimento médico.

Com o intuito de ajudar o Hospital, cerca de 80 pessoas contribuem com o Amigos da Santa Casa (Amisc). Profissionais da psicologia, nutrição, administração, entre outros, trabalham com a elaboração de projetos, eventos, humanização e serviços administrativos.

No início deste ano, a Santa Casa encerrou as atividades do pronto atendimento que funcionava na instituição. No seu lugar, foram viabilizados 73 novos leitos de retaguarda; a entidade já possuía 50 em seus espaços. A transformação foi com o objetivo de adaptar o serviço oferecido no hospital, adequando-o, da melhor forma, à rede de saúde do Estado do Ceará e de Fortaleza. Os leitos de retaguarda são utilizados por pacientes de média complexidade advindos de hospitais regulados pelo Município. Dessa forma, a entidade mudou sua forma de atuação na rede, deixando de ser um hospital de porta aberta para tornar-se regulado.
Patologia

Na ocasião, Luiz Marques enfatizou que a instituição passaria a receber pacientes que viriam do Hospital Geral de Fortaleza (HGF), Unidades de Pronto Atendimento (Upas), hospitais públicos, frotinhas, gonzaguinhas. "Os pacientes vão chegar à Santa Casa para serem tratados com aquela patologia a qual ela pode dar o tratamento".

A intenção é que a entidade abra espaço para tratamento de pelo menos 20 pessoas com pé diabético, além de atuar nas áreas de dermatologia e clínica médica, dentre outras especialidades pesquisadas e entendidas pelo corpo estrutural da Santa Casa de Misericórdia.

Fonte: Editora Verdes Mares Ltda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário