sábado, 26 de maio de 2018

Petrobras e a greve dois caminhoneiros. Por Abelardo Filho

Abelardo Filho (ex prefeito e ex deputado pelo Aracati )
Todos sabem a situação calamitosa em que deixaram a Petrobrás. Formaram um consórcio  de partidos corruptos para saqueá-la, tornando-a a empresa petrolífera mais endividada do mundo.Sakiabemos que compraram uma refinaria sucateada nos Estados Unidos a preço de ouro, que quando valia o preço de banana madura.
Doaram uma refinaria à Bolívia de Evo Morales, fizeram negócios escusos na Argentina e na África, sempre em prejuízo da nossa estatal.

Foram elaborados milhares de contratos superfaturados para propiciar propinas multimilionárias. Surrupiaram dinheiro da refinaria Abreu e Lima em Pernambuco, virou fumaça os recursos para implantação da refinaria do Ceará. A sangria foi tanta, que levaram a Petrobrás à beira da falência. Ela, que desde o seu nascimento foi motivo de grande orgulho dos brasileiros, já não o é tanto. Mesma situação da seleção brasileira de futebol, envolta numa escabrosa história de corrupção no fatídico jogo contra a Alemanha em 2014. A partida de triste lembrança dos 7 x 1, cujo o resultado, segundo o FBI (a polícia Federal Americana) foi negociado a preço de dólares pelos nossos dirigentes. Hoje 65% dos brasileiros perderam o interesse pela seleção. Vejam até onde chegou a corrupção neste país nos últimos 16 anos. E ainda tem gente que torce para que o Brasil volte a esse vergonhoso passado.

 Pois bem, voltando às preliminares, sabemos de todos os problemas que afligem a Petrobrás, torcemos pela sua recuperação financeira. Mas temos que entender que ela não pode se realizar a qualquer custo. O Brasil e o povo brasileiro são maiores que a Petrobrás e não devem ser duramente sacrificados em nome da recuperação de uma estatal, que, aliás, obteve recentemente, lucros bilionários no primeiro trimestre deste ano, depois de alguns anos de prejuízos. Os brasileiros estão pagando um preço muito alto.

 O que contesto é a política de preços adotada para os combustíveis com altas semanalmente, trazendo instabilidade econômica ao país. O combustível fóssil é que movimenta a riqueza do Brasil através da imensidão do seu território.  Qualquer aumento no preço dos combustíveis repercute no preço de todas mercadorias transportadas por vias terrestre, aérea e marítima, sem se falar no gás de cozinha (GLP) que está proibitivo para famílias de baixa renda. Isso causa instabilidade, insatisfação social.

 Como exemplo, está aí a greve dos caminhoneiros. greve que considero justa por ser contra os aumentos extorsivos dos preços, embora cause grandes transtornos a milhões de brasileiros. Ela já vem atingindo vários setores da economia nacional. Tudo isso é consequência de uma política populista, perdulária e de pilhagem da maior estatal do país, que foi posta em prática nessa última década.

 Somos a favor da recuperação financeira da Petrobrás, mas não a um elevado custo que penalize o já sofrido povo brasileiro.

(Texto de Abelardo Filho)

Nenhum comentário:

Postar um comentário