quarta-feira, 9 de maio de 2018

Polícia Civil fecha filial irregular de cartório de Aracati que funcionava em Fortaleza. Quatro pessoas foram presas

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), por meio de diligências da Delegacia Regional de Aracati, fechou a filial de um cartório de Aracati que funcionava de forma irregular, no bairro Maraponga, em Fortaleza, Área
Integrada de Segurança 9 (AIS 9), na manhã desta quarta-feira (9). Além disso, a equipe policial deu cumprimento a quatro mandados de prisão preventiva e a sete de busca e apreensão nas cidades de Aracati e Fortaleza, na segunda parte da "Operação Revisional", que apura fraudes em contratos de financiamentos bancários.

Na manhã de hoje, os policiais apreenderam docums autenticados, selos cartoriais, timbres e carimbos originais da sede irregular do Cartório Cícero Pessoa, em Fortaleza. A sede do cartório está situada no distrito de Mata Fresca, em Aracati, e só tem permissão para atuar no município do Litoral Leste cearense. Conforme levantamentos policiais, a sede irregular funcionava há cerca de dois meses e estava fechada durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão. Todo o material foi recolhido e apresentado na delegacia para apuração. Um dos mandados de prisão foi cumprido na residência do filho do proprietário do cartório. 


Após um ano de investigações acerca da prática de fraude de documentos e estelionatos cometidos contra vítimas no município de Aracati (AIS 18), a Polícia Civil descobriu que os criminosos utilizavam nomes de terceiros, sem o consentimento deles, a fim de solicitar financiamentos bancários para a compra de veículos. A prática de estelionato, de acordo com as apurações feitas pela Polícia Civil, eram coordenadas por um suspeito que ficava responsável por catalogar vítimas com “perfil de bom pagador” para facilitar a liberação dos financiamentos junto ao banco. 


Durante o cumprimento dos mandados, foram presos: Carla Luciana de Lima Silva (41), Venâncio Cassemiro Viana (31), Jesemiel dos Santos Azevedo (29) – todos sem antecedentes – e  José Carlos Vieira Lourenço (28), com uma passagem pela Polícia por crime de trânsito. Conforme apurado nas investigações, os suspeitos participavam direta ou indiretamente do esquema fraudulento. José Carlos também colaborava com a escolha das vítimas, como apontam as investigações. Ambos os suspeitos trabalhavam em uma revenda de carros. 


Fase I


A primeira parte da operação aconteceu em março deste ano, quando dois suspeitos foram presos for força de mandados de prisões temporárias em desfavor deles: João Carlos Silva Barros Junior (26) e José Carlos Vieira Lourenço, preso nesta quarta. Ambos os suspeitos ganharam liberdade provisória para responder aos processos, enquanto as investigações eram realizadas.


O caso segue em andamento pela Delegacia Regional de Aracati no intuito de identificar outras pessoas suspeitas de participar do esquema criminoso descoberto pela Polícia Civil no município. Todos os envolvidos irão responder pelo crime de estelionato, falsificação de documento e associação criminosa. Cerca de 15 vítimas tiveram seus dados utilizados pelo grupo para financiamento de veículos junto a instituições bancárias. Até o momento, um automóvel foi apreendido. A Polícia Civil requisitou a apreensão dos outros carros envolvidos no esquema fraudulento.


Fonte: Polícia Civil do Ceará em Ação

Nenhum comentário:

Postar um comentário