sábado, 29 de setembro de 2018

Da cadeia, Lula teria manipulado alianças no Nordeste para enfraquecer Ciro, diz revista

No Ceará, o ex-presidente teria barrado apoio de Camilo Santana e de Eunício Oliveira; articulação seria razão de estagnação de Ciro e crescimento de Haddad. Ciro Gomes foi ministro de Lula. (Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula)

A revista Istoé deste final de semana traz
como destaque suposta operação encabeçada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), de dentro da cadeia, para manipular apoio de caciques regionais nas eleições 2018. Segundo a revista, o esquema de Lula em prol do presidenciável Fernando Haddad (PT) atingiu o governador Camilo Santana (PT) e o candidato ao Senado Eunício de Oliveira (MDB), enfraquecendo Ciro Gomes (PDT).

De acordo com Istoé, o esquema seria operado através de bilhetes que chegam às mãos de assessores de confiança, dentre eles o deputado federal José Guimarães (PT-CE). Conforme a revista, além de promessas de cargos no futuro governo do PT, Lula articula vantagens financeiras destinadas a irrigar as campanhas de quem entra na estratégia. Um dos focos seria ampliar a vantagem de Haddad no Norte-Nordeste do País.

Nesse processo, velhos parceiros que até então marchavam ao lado de Henrique Mereilles (MDB) ou de Ciro Gomes (PDT) foram procurados. Seriam ele Renan Calheiros (MDB-AL), Eunício Oliveira (MDB-CE), Fernando Collor (PTC-AL) e o ex-senador José Sarney (MDB-MA).

Por Tribuna do Ceará  Categories: em Eleições 2018
28 de setembro de 2018 às 18:20

Nenhum comentário:

Postar um comentário