terça-feira, 29 de janeiro de 2019

Presos da cadeia de Aracati são transferidos. "Erra o MP, Judiciário, OAB e o Estado no caso da superlotação", diz advogado

No início da tarde desta terça-feira (29/01), os presos da cadeia pública de Aracati começam a ser transferidos para presídios e penitenciárias na capital
cearense.

Em entrevista a uma emissora de rádio de Aracati, o advogado Augusto Neto disse que; "a medida é desnecessária e é radicalmente contra esse absurdo cometido por essa política do governo do estado em querer combater a violência nos presídios transferindo presos. Os detentos do presídio de Aracati tem excelente comportamento, aqui não tem comando de facção ordenando queima de ônibus, violência no país ou no Estado, e esse tipo de transferência fere o código penal, fere o direito individual do preso, é uma transferência sem critério. Então eu sou contra. Eu acho que o Estado quer resolver de forma simples achando que, ao transferir o preso para Fortaleza ou para qualquer outro local distante da família se resolve a violência, e isso dificulta a ressocialização do preso. A maioria dos familiares são pobres e não tem como visitar seus entes queridos, portanto eu acho um absurdo. Eu sou contra essa política radical de querer transferir presos".

Dr Augusto Neto disse que tem não tem conhecimento de que haverá fechamento da cadeia pública e segundo informação extra oficial, tem 70 detentos na lista para serem dos transferidos. 

O advogado criminalista também disse que;  "está acompanhando de perto a ação juntamente com os familiares dos presos para que eles tenham seus direitos individuais e sua integridade física sejam respeitadas"

Dias atrás, o diretor da cadeia pública de Aracati, conhecido por Marquinhos, disse existir 208 detentos, para o espaço com capacidade para apenas quarenta e duas (42) pessoas

Sobre a quantidade excessiva de recolhidos na cadeia pública, Augusto Neto disse o seguinte; "sou obrigado a dizer a minha opinião, mas, em relação ao excesso de presos em Aracati, erra o Ministério Público, erra o judiciário, erra a OAB e erra o Estado e erra o bom senso, pois tem muitos deles que, quando forem condenados, muitos ficarão no regime aberto ou semiaberto, então porquê deixar todos aí amontoados e ainda tem o sofrimento dos familiares? pois estamos aqui neste momento na Vila Olímpica em frente a cadeia pública e a gente vê o sofrimento dos familiares porquê vivem essa expectativa de ver o seu familiar ser transferido para Fortaleza".

Para o advogado criminalista, essa é uma atitude arbitrária do governo do estado, pois irá afastar os presos que irão longe das famílias e assim não fica muito difícil de serem ressoscializados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário