terça-feira, 14 de maio de 2019

Estudo aponta que 700 mil jovens cearenses não estudam, não trabalham e não procuram emprego

Entre 2014 e 2018, o número desses jovens triplicou nos bairros da periferia de Fortaleza e atinge
faixa etária de 16 a 29 anos.

Segundo levantamento encomendado pelo Instituto Dragão do Mar ao Laboratório das Artes e das Juventudes da Universidade Federal do Ceará (Lajus/UFC) e em parceria com o Instituto Oca, cerca de 700 mil jovens cearenses, entre 16 e 29 anos, não estudam, não trabalham e nem estão procurando emprego. O levantamento e estudo chega às juventudes da periferia pelo mesmo caminho da vulnerabilidade social que as violências alcançam esses jovens.

Entre 2014 e 2018, o número desses jovens triplicou nos seguintes bairro de Fortaleza: Bom Jardim, Canindezinho, Granja Lisboa, Granja Portugal, Jardim Jatobá, Santa Cecília, Santo Amaro e São Vicente.

Fonte: Revista Ceará
Compilado do Grupo AracatiPolicia24hs

Nenhum comentário:

Postar um comentário