quarta-feira, 5 de junho de 2019

Prefeito diz em live que está triste, não tem paz desde que assumiu e que a sociedade está angustiada com passeatas

O prefeito Bismarck Maia disse na manhã desta terça-feira (4) que está triste com o que vem acontecendo em Aracati
(referindo-se as manifestações dos servidores) e que não tem paz desde que assumiu a prefeitura, em janeiro de 2017. Ainda segundo relatou o prefeito, a sociedade aracatiense se sente angustiada com as manifestações e passeatas com xingamentos contra o gestor.

“Estou triste, mas o coro é grosso”, disse o prefeito, emendando que não paz desde que assumiu o município. “Todos tiveram… eu não tive um momento sequer de paz”, disse.

Ainda segundo Bismarck, seu calvário começou 15 dias após tomar posse, com os boatos de que o hospital (Santa Luiza de Marillac) fecharia as portas. Após 40 dias de sua gestão se deparou com a greve que saúde e educação.

O prefeito também citou as confusões vividas na Câmara Municipal de Aracati, com idas e vindas na justiça por parte da Mesa Diretora e a troca de presidentes da Casa Legislativa como outra dor de cabeça para sua gestão. “Ano passado inteiro a questão da câmara de vereadores que atrapalhou firmemente os projetos de Aracati”, disse.

O prefeito falou ainda sobre a discussão que teve com uma servidora da saúde, na quarta-feira da semana passada. Segundo ele, estava aguardando ser chamado para uma audiência trabalhista quando foram no fórum informar que iriam (os manifestantes) aguardar.

“Eu sair e disse: ‘gente vamos fazer uma conversa. Fui e daqui a pouco chegou uma pessoa pra me agredir (tanto o vídeo gravado pelos manifestantes como o vídeo gravado por apoiadores do prefeito não mostra nenhum tipo de agressão). Com agressão, não vai. Com agressão, com xingamento, não vai. Não há possibilidade de eu fazer isso”, disse o prefeito, que defendeu dialogar por horas com os servidores, desde que forma educada e harmônica.

O prefeito voltou a dizer que o município, hoje, é respeitado em todo o Ceará e que não entende os motivos de os professores estarem em greve. Sobre o aumento dos servidores, disse só poderá discutir o assunto após a avaliação de uma comissão que foi constituída para esse fim. “Me deem um tempo”, disse aos demais servidores. “Depois que a gente avaliar, a comissão terminar o seu trabalho, nós sentamos e avaliamos o que pudemos fazer”, disse, pedindo aos servidores que acabem com a greve e volte ao trabalho. “Peço mais uma vez que os servidores acabem com a greve, que está se caracterizando como moimento político”, finalizou.

Procurado pela reportagem da Folha de Aracati para comentar as declarações do prefeito Bismarck Maia que disse quem no ano de 2018 a Câmara atrapalhou projetos importantes para a cidade, o atual presidente da Câmara, vereador Marcelo Porto, disse que não comenta o que se passou em 2018 por não ser presidente da casa legislativa à época. “Eu prefiro não comentar já que na época eram outros colegas que conduziam a direção da Câmara. Isso para mim é página virada. O que me importa é o ótimo momento que a Câmara vive atualmente com muitas mudanças positivas e resgate de sua imagem. Para isso trabalharei incansavelmente para atender os anseios da população e aproximar a Câmara do povo e ter um Legislativo forte e independente, aberto ao diálogo com todos. Uma câmara melhor para todos”, disse.

Folha de Aracati

Nenhum comentário:

Postar um comentário